Rincon Sapiência, através da música abre portões para juventude negra

Os preto é chave, abram os portões

“Comecei no ambiente da música em casa com meus pais e meu irmão mais velho”, diz o renomado.

Nascido e criado na Cohab 1 bairro de Itaquera, localizado na Zona Leste de São Paulo, Danilo Albert Ambrósio, filho de um pai, que foi criado sem pai e uma mãe criada na roça é fruto de uma afro-miscigenação, tendo em vista que seu avô materno é carioca e sua avó paterna mineira.

Seu sonho não era diferente da maioria dos jovens negros, profissionalmente queria ser jogador de futebol por ter habilidade e por ser a chance de tirar sua família das dificuldades.  Saiu do campo de terra batida, chegou ao clube poliesportivo Associação Portuguesa de Desportos, a Lusa, onde se deparou com obrigações, acordando cedo, enfrentando metrô cheio e estando uniformizado pontualmente para o treino. Uma rotina pesada demais para um adolescente que vivia seu momento de descoberta, e então a formação da sua personalidade tomou frente do jovem, que abandonou o futebol.

Tendo uma forte influência, Danilo se espelhou em seu irmão mais velho que o introduziu no rap. Iniciou sua carreira como rapper na década de 2000, quando criou uma banda com seus amigos da escola e do bairro.

O rapper diz: “Achei a música muito mais atraente, mais envolvente, me agregava mais como vida, como cidadão não só como profissão.”

Seu nome artístico é Rincon Sapiência. Rincon é um apelido que vem de um futebolista colombiano, ícone do Corinthians nos anos de 1998, o nome foi batizado pela “rapaziada” que ficava no bar da rua onde morava. Sapiência representa o conhecimento da divindade e humanidade, por identificação aderiu o nome e hoje é visto com originalidade nos campos de pesquisa na internet.

Craco Resiste

Recentemente, Rincon fez um show na cracolândia de São Paulo, foi um sucesso enorme, impactou milhares de pessoas, as mídias sociais e a televisão, por se apresentar para pessoas que, são invisibilizadas pela sociedade, esquecidas pelas autoridades, menosprezadas por quem se julgam melhores ou superiores a eles.Que se esquecem, que o usuário também tem vida e também são humanos.

"Ponta de Lança" ao vivo na Cracolândia

Levando um pouco de música e de cultura pros manos e manas da Cracolândia. É por essas e outras que eu insisto: o crack não é um problema de polícia, ao contrário do que se tem dito. #acracoresiste

Posted by Rincon Sapiência on Friday, June 2, 2017

Rincon declara: “…é um problema de saúde pública, que não se resolve rapidamente, e tirando as entidades que fazem algo para melhorar esse cenário, geralmente, quando as autoridades entram lá, é num clima de repressão, hostilizarão.Então, fazer o evento lá, um lugar hostil, com muitos usuários, tráfico, com tendência a furtos, tendo o poder de levar música, entretenimento e diversão, humanizamos aquelas pessoas.Eu acho que humanizar os usuários, é o primeiro passo para resolver o problema. ”

O evento foi idealizado pela Craco Resiste, em cooperação e participação com vários rappers, no intuito de promover mudanças positivas nas vidas de pessoas que vivem na cracolândia. Meio de levar esperança, força de viver, força para saírem do vício e perceberem o quão importante são e que há pessoas que acreditam na recuperação e evolução deles.

O retorno do evento foi, mais que, positivo e visível, em todos os cantos. As pessoas sorriam, riam, apresentavam alegria ao cantar e dançar as músicas de Rincon Sapiência, e é de mais doses de afeto, representatividade, e solidariedade que eles precisam, para serem autores de suas próprias histórias.

Ao ser indagado sobre o que sentiu, ao escrever a música “Ponta de Lança”, respondeu: “ Foi espontâneo! Escrevi sob influência da minha vivência, o cotidiano, e através do fluxo de funk, rimei em cima. Foi um período, em que eu estava com um CD gravado, tudo pronto, mas quis falar mais alguma coisa. Escrevi, fiz a produção..me diverti rimando, fazendo trocadilhos.”

Rincon gosta de inovar e se sentir livre para produzir, além de utilizar e unir os mecanismos e recursos musicais, disponíveis, para as suas produções. É influenciado pela juventude preta, pois observa que o comportamento dos jovens tem uma desenvoltura corporal que ele não tinha. Tem como base também as festas gays, festas pretas, onde vê que esses jovens se sentem livres para ser quem são e assumir seus cabelos, seus crespos armados, seus traços e sorrisos.

Rincon e a Representatividade

Em um show na cidade de São Paulo, em um dia chuvoso, Rincon foi até às grades para cantar mais perto do seu público, e os seguranças ficaram ao redor, e um deles, negro. O rapper achou que o segurança ia pedir para ele descer das grades, mas isso não ocorreu, ele somou ao momento, não reprimiu o cantor e nem o público e a imagem ficou marcada, além de evidenciar a representatividade e referência das músicas do rapper, o que ela tem feito na vida de milhares de pessoas.

Nem a chuva conseguiu cancelar a nossa festa na Virada Cultural. E se tá frio, nóis faz como!? Chega junto com a galera pra dar aquela esquentada!

Posted by Rincon Sapiência on Monday, May 22, 2017

Rincon se diz muito honrado ao ver a repercussão do seu trabalho e passou a frequentar mais o Rio de Janeiro, por perceber a enorme quantidade de jovens negros, e poder falar o que almeja falar e ao mesmo tempo, ser referência para a juventude preta.

O artista percebe que, até mesmo, em Porto Alegre, Goiânia, entre outros estados, em que imaginamos ter, em sua maioria, pessoas brancas, se sente acolhido e prestigiado por muitas pessoas negras, que se unem e se reúnem para somar e chegar ao seu show.

Rincon Sapiência, é uma das vozes que representa a juventude negra, aproxima ainda mais Brasil e o continente africano, dirige o seu olhar para aqueles que pouco são vistos. É referência! É a cara da Carioquice Negra! Ubuntu!

 

 

Por  Amanda Martins

Graduanda em Direito na Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio,Pesquisadora em Energia no Núcleo de Pesquisas Brasil-Chile, Editora, membro da Organização Carioquice Negra, escritora, cantora e compositora

e

Por Victória Costa 

Editora da Organização Carioquice Negra, afro empreendedora no Projeto Turban3gas e Graduanda em Serviço Social na Universidade Estácio de Sá.

 

 

 

Comentários

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password