O GT “Perspectivas negras do Direito” abordará a atuação de advogadas negras, evento ocorrerá na OAB/RJ

O GT iniciou com um evento dia 25 de julho ( Dia Internacional da Mulher Negra Latina e Caribenha), onde houve a exibição de rostos e atuações de advogadas negras, contrariando assim, o sendo comum, tendo em vista que são poucas as advogadas negras e as dificuldades e racismo enfrentados por aquelas que atuam, realizado pela OAB Mulher RJ.

A advogada Marina Marçal declara: “Somos o 1º GT de Advogadas Negras do País!Há algum tempo atrás quando propus a criação do GT, ouvíamos comentários de que não teríamos quorum. Hoje, a cada reunião em que piso nessa sala e vejo tantas mulheres lindas e competentes juntas, sinto um prazer enorme em poder coordenar nossas atividades e ver nosso grupo crescendo unido. Cada inbox de mulher preta procurando o grupo é a certeza de que não estamos mais sozinhas!”

Nas reuniões  as advogadas discutem sobre ações e  textos, como o de Lélia Gonzalez, Neusa Sousa, Sônia Santos, dentre outras  escritoras, ativistas negras que são símbolo de representatividade e protagonismo negro. Além disto, estão elaborando um oficio especificamente para melhoria do atendimento à mulheres negras.

A advogada Marina Marçal menciona dados de suas pesquisa, onde identificou que são 70.184 advogadas só no Rio de Janeiro. Homens são 71.082. Portanto, tais números perpassam a ideia de que, o ambiente embora seja bastante machista, o número de advogadas no Rio está quase equiparado. Tal acontecimento é oriundo de ações e atuações das advogadas, dentro e fora do âmbito jurídico. A luta por direitos iguais é contínua e os avanços são reflexo da garra de mulheres que acreditam em dias melhores. 
No que tange à quantidade de advogadas negras, a OAB não sabe informar. Marina relata que vem buscando resposta arduamente e acredita que este deve ser um compromisso assumido pela  da Ordem dos Advogados do Brasil.
“Estamos envolvidas na luta contra o sexismo, classismo,  e principalmente no racismo. Já que todas essas opressões atingem prioritariamente às advogadas negras. Sabemos que, em diversas situações, as credenciais de advogadas não nos protegem das violências contra a cor da nossa pele, mas entendemos nossos privilégios em relação à outras mulheres negras e, por isso, estamos engajadas na luta para melhoria de condições de vida de todas as mulheres negras.” Expõe Marina Marçal.

 

Programação

Mulheres Negras no Judiciário
Adriana Cruz, juíza

Racismo Institucional e Acesso à Justiça
Thula Pires, professora de Direito da PUC

Dano moral com recorte racial e de classe
Jéssica Oliveira, advogada

Estigmatização das Favelas
Caroline Santos, advogada

Mediação
Marina Marçal, coordenadora do GT Mulheres Negras

Local
OAB/RJ

Endereço
Avenida Marechal Câmara, 150 – 9º andar

Informações
Tel: (21) 2272-2053

 Inscrição
oabmulher@oabrj.org.br
Entrada: Gratuita.

 

O evento contará com o apoio da Cervejaria Feminista e com a exposição do livro para venda “Tua Cor é o que eles olham” da H.P. Comunicação Editora.

Para saber mais sobre o evento clique aqui e confirme a sua presença! Unidas somos mais fortes! Ubuntu!

Graduanda em Direito na Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio, escritora, palestrante, Pesquisadora , Diretora no Núcleo de Pesquisas Brasil-Chile. Redatora na Organização Carioquice Negra.

Comentários

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password