Dida Bar e Restaurante é referência na Gastronomia Africana no Rio de Janeiro

 

O Dida Bar e Restaurante é um espaço voltado para a gastronomia africana. Tem o objetivo de aproximar pessoas, enaltecer a cultura afro-carioca, além de cativar o seu público com excelentes petiscos e cerveja gelada. Está situado à Rua Barão de Iguatemi, 408, Praça da Bandeira- Rio de Janeiro.

Dona Dida

 

Nascimento do Dida Bar e Restaurante

Ele nasceu nos anos 80,no bar da Tia Maria, mãe da Dida. O bar funcionava na Pavuna e Tia Maria, rezadeira conhecida no bairro, liderava seu bar com muito zelo e sorrisos.

O cardápio era autêntico, tinha cozido, feijoada e mocotó.O bar era referência na zona norte por sua originalidade. Além disto, tinha rodas de capoeira. O Mestre Sargento, seu filho, também discípulo e sobrinho de mestre Celso Carvalho, era o responsável pela fama de capoeira do bar.

Os sobrinhos de Tia Maria , o Luizão, João e praticamente todo o grupo Engenho da Rainha, fundado por Mestre Celso, também passaram pelo lugar. Assim os anos foram passando. Com uma boa cozinha  a filha de Tia Maria, a Dida, passou a  comandar o bar nos momentos em que sua mãe precisava se dedicar a compromissos religiosos em seu terreiro nos fundos de casa.

Na década de 90 Andrezão, Cesar Dias e outros sobrinhos de Tia Maria animavam o bar durante os ensaios de sua banda banda Afro Yalodê. Andrezão e Cesar eram provenientes do Bloco Afro Òrúnmilá, e Andrezão foi o primeiro mestre do bloco criado na região do Rio Comprido, Estácio e adjacências. Tudo ficava bonito quando Eliane Silva e Kenia Maria, vencedora do prêmio Deusa do Ébano do Òrúnmilá, irmã do Andrezão e Cesar Dias, dançavam com a Yalodê. Participavam também das festas criados pela Yalodê diversos ritmistas da Mangueira.

Tudo isso acontecia aos domingos, virando o bar de Tia Maria de ponta cabeça. Luíza Dionísio, Ronaldinho do Fundo de Quintal, Serginho Meriti e outros também frequentavam as festas do bar.

Os anos passaram, mas, o gosto pelas festas e confraternizações baseados na cultura afro-carioca está, sempre, presente.

Com os anos passando a intitulada “Família Preta”, que agregava amigos, conhecidos e amizades das amizades, ia realizando festas e confraternizações com jongo, samba de roda, capoeira e samba.

Dida Bar

Esse é o Dida Bar, um lugar que une gastronomia, música e afeto. Aqui nós fazemos tudo com paixão, e é isso que nos torna uma família. Como disse Kanu “não tem como fazer plano de negócios pra afeto”. Aos nossos fiéis clientes, muito obrigado! Aos que ainda não são, vocês também podem fazer parte dessa história. <3

Posted by Dida Bar e Restaurante on Monday, May 22, 2017

Uma delas foi em 2014 no IPCN. Pela primeira vez a “Família Preta” fazia algo fora dos muros de sua casa, e a festividade no IPCN serviu como ponto de partida para o amadurecimento da ideia de se abrir um bar (ou reabrir o bar da Tia Maria).

Houve uma segunda festa. Essa na Lapa para um grupo de Senegalenses e Angolanos, organizada junto com Mauro Cleverson e embalada com muita música e comida africana, e a ideia de representatividade, reexistência e proximidade da matriz africana começou a ser cada vez mais latente.

Em 2015 , foi escolhido um ponto que estava a disposição na Barão de Iguatemi, 408 (Praça da Bandeira). Tudo foi tomando corpo de forma bem natural. Como um nascimento (ou renascimento). Mesmo sem propósito formado em todos os momentos a pauta, cultura e culinária negra se aproximavam da família e agregados que agora habitavam a Praça da Bandeira.

Na nova residência a família não se restringia somente e propositalmente a culinária de matriz africana. No cardápio, há Cigarette de queijo coalho, o petisco chamado Orgasmo de Lingüiça, o tradicional bolinho de feijoada e outros. Além de uma carta de cervejas especiais.

Abrangendo diversos gostos. Estando sempre antenado no que se passava no cenário geral carioca ou deixar de olhar com carinho pra cultura carioca de boteco, a qual toda família também é proveniente, em razão da vivencia do suburbano bar da Tia Maria na Pavuna.

 

Dida Bar e Restaurante no Comida di Buteco

Comida di Buteco no Dida Bar

Olha a Dida aí gente! Ela veio contar pra vocês como é feito o Cestinha de Hauçá, nosso prato concorrente ao Comida di Buteco 2017. Aproveitem o feriado e venham provar! 🙂

Posted by Dida Bar e Restaurante on Thursday, April 20, 2017

E com esse carinho no olhar que,em 2016, o bar participou pela primeira vez do concurso Comida di Buteco, o sucesso foi imenso que, em 2017, o Dida Bar e Restaurante participou novamente.

Apresentou o prato delicioso, Cestinha de Hauçá, em homenagem ao povo Hauçá (Nigéria, Niger e outros), no Comida di Buteco, temperado com muito amor e sorrisos dos integrantes da família Dida que são: Dida Nascimento, Stefani Nascimento, Mabi Elu Santos,Kanu Trindade, Matheus Buka Trindade e amigos.

Foi um momento marcante para a história da Família Preta, intitulada já nesse momento como Família Dida.

Muitas coisas aconteceram  no Dida Bar e Restaurante. Houve a criação do Pagode da Dida e  o Afoxé Filhos de Gandhi Rio já se apresentou no bar. Além do samba e do jazz que estão sempre presentes. Reunindo muitas pessoas, promovendo sorrisos , expandindo a rede de contatos e celebrando o que há de mais precioso: a vida!

 

Clique aqui e saiba mais sobre o Dida Bar e Restaurante

Por Amanda Martins

Graduanda em Direito na Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio,Pesquisadora em Energia no Núcleo de Pesquisas Brasil-Chile, Editora, membro da Organização Carioquice Negra, escritora, cantora e compositora

Comentários

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password