Tiara Mello trança histórias e valoriza a beleza negra

Tiara Mello é uma rainha negra, balzaquiana e reside no bairro Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro. Professora, afroempreendedora e graduanda em Direito pela Universidade Estácio de Sá. Sua família é integrada por sua mãe Elizete, a irmã Fabíola, os irmãos Wallace e Weslley, além deles, sua avó materna, rainha de 91 anos de muita experiência e saber, dez sobrinhos, tios, tias e muitos primos.

A selva de pedra

Tiara Mello supera os desafios com coragem, fé, persistência, amor, sabedoria, axé e inteligência. Desde muito cedo, ao perceber sua realidade, se apegou às estratégias como forma de sobrevivência.

Acredita que um dos maiores desafios da comunidade negra é obter investimentos e apoio em diversos sentidos para que se conquiste espaços de poder e se manter nele. Tiara afirma: “Quando falo espaços de poder, falo de todo espaço onde a branquitude nos privou de ocupar durante anos.”

Empreendedorismo, afeto e ancestralidade

Modelo e cliente Priscila Carvalho Foto: May Ximenes

Tiara Mello é proprietária da marca  Tiara Mello Hair Stylist, e desenvolve um trabalho direcionado para a autoestima, o resgate e manutenção da mesma e da nossa identidade como povo preto. Buscando evidenciar a beleza negra, que nunca foi aceita pela branquitude e assim, nós também passamos anos negando a nós mesmos e sofrendo para nos moldarmos a um padrão que não nos contempla.

Homem também trança. Modelo e cliente Robson Lapa Foto: May Ximenes

“Quando recebo uma preta ou preto procurando meu trabalho, eu recebo um irmão. O espaço que dividimos por algumas horas torna-se o nosso Ilê. E isso é algo necessário e positivo. Ninguém sai do mesmo jeito que entrou, se não quiser.” Explana a afroempreendedora.

Representatividade

Em se tratando de referências, a hair stylist menciona a mãe e a avó, suas heroínas, rainhas da sua vida. Mentoras e responsáveis pela mulher e cidadã que ela é hoje. São os maiores exemplos de força, persistência, sucesso e conquistas para Tiara. Foi com elas que a afroempreendedora  aprendeu a multiplicar e dividir o que têm. Ademais, se vê representada por homens e mulheres que vieram antes dela, e que construíram um legado que ela quer dar continuidade, são eles: Zezé Mota, Malcon X, Luther King, Tereza de Benguela, Tia Ciata, Zumbi, Dandara dos Palmares, Prof. Vanda Maria de Souza Ferreira, Katiuscia Ribeiro, entre outras.  Segundo Tiara Mello, tais referências são extremamente importantes para contribuir no nosso processo de desconstrução e reconstrução da identidade negra.

Tiara Mello em New York

Em dezembro, acontecerá a exposição Black Brazilian Women: Presence and Power  (Mulheres Negras Brasileiras: Presença e Poder), na SUNY New Paltz, em Nova Iorque, onde 40 mulheres negras brasileiras serão evidenciadas através do intelecto, expondo suas biografias e Tiara foi uma das convidadas.

O evento é idealizado pela brasileira, Sandra Coleman, mestranda em educação que mora, há dez anos, em Nova Iorque. Ela sentiu falta dos negros na universidade e resolveu fazer algo que pudesse mudar o cenário. Aproveitando o ensejo, decidiu evidenciar as mulheres negras brasileiras, como forma de romper com as falácias nacionais e internacionais, que pejoram e deturpam a imagem e integridade das mesmas, tendo em vista, desconstruir a visão hipersexualizada sobre o corpo da mulher negra e afins.

“Eu me sinto muito feliz . É uma oportunidade que nunca havia sonhado. A minha história parece com a história de muitas mulheres negras, então essa é uma oportunidade de ser referência e representatividade para minhas sobrinhas, primas, amigas e tantas irmãs e irmãos que passam dificuldades parecidas com as minhas. E nada disso seria possível sem o estudo. A busca pelo conhecimento é extremamente importante e necessário. Ele que nos leva aos lugares que pareciam inalcançáveis.” Declara Tiara Mello.

Tiara está movimentando uma campanha para arrecadar recursos, de forma que possa viabilizar a viagem para New York, poder ver de perto a exposição e compartilhar tal momento e experiência. Colabore com essa rainha para que ela chegue a New York : clique aqui

A Hair Stylist finaliza dizendo:
“Martin Luther King disse que o que o preocupava era o silêncio dos bons. Eu penso que já estamos fazendo barulho. Então que o barulho aumente a tal ponto que o negro seja visto como pessoa , que a nossa beleza não seja mais considerada exótica,que nossos corpos não sejam objetificados e homens e mulheres negros não sejam preteridos . O mundo é nosso, e vamos ocupar todo espaço,profissão,cargo do nosso interesse. Nós somos a chave,vamos abrir todos os portões.”

Acompanhe Tiara Mello nas redes:

Facebook: clique aqui

Instagram: @tiaramellohair

 

 

Por Amanda Martins

Graduanda em Direito na Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio, escritora, palestrante, Pesquisadora , Editora e membro da Organização Carioquice Negra.

Comentários

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password